Associações entre o índice de massa corporal e a agilidade em crianças e adolescentes

José Nunes da Silva Filho, Mara Maria Izar de Maio Godoi, José Roberto de Maio de Godoi Filho

Texto completo:

HTML PDF

Resumen

Introdução: às associações entre o índice de massa corporal e a agilidade na infância, não estão bem esclarecidas na literatura.
Objetivo: analisar a associação entre os níveis do índice de massa coporal e a agilidade em crianças e adolescentes.
Método: estudo transversal com voluntários de 10 a 14 anos. Separados em: grupo com peso normal (PN= 22), grupo com excesso de peso/obesidade (EP/OB= 22). Todos passaram por medidas de antropometria e agilidade. A estatura e massa corporal foram aferidas para determinar o índice de massa corporal utilizando a sugestão da Organização Mundial da Saúde. Para medir a agilidade foi utilizado o teste Shutle Runpor exigir pouca habilidade motra e ter uma boa confiabilidade. Na semana que antecedeu as medidas definitivas, os voluntários foram familiarizados com os procedimentos e com a execução dos testes. Para todos os cálculos estatísticos adotou o nível de significância de (p≤ 0,05).
Resultados: houve uma correlação significativamente positiva e moderada entre o índice de massa corporal e os níveis de agilidade no grupo como um todo (r= 0,46; p= 0,03). Já os resultados do teste t, confirmou-se a existência de diferença significativa entre o nível de agilidade do grupo com excesso de peso e obesidade e o grupo com peso normal (p< 0,05).
Conclusão:
houve correlação significativa entre o índice de massa corporal e os níveis de agilidade na amostra analisada; e que o grupo classificado pelo índice de massa corporal como EP/OB apresentou um nível de agilidade significativamente menor do que o grupo classificado como peso normal.

Referencias

Silva Filho JN, da Fonseca RC, Cruz AP, de Maio Godoi Filho JR, Saraiva B, Ferreira RA. Efeitos do exercício físico de força sobre o desenvolvimento ósseo em crianças e adolescentes: uma revisão sistemática. RBPFEX-Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. 2015; 9(51):40-7.

Ebbeling Cb, Pawlak Db, Ludwig Ds. Childhood obesity: public-health crisis, common sense cure. The Lancet. 2002;360(9331):473-82.

Lissau I, Overpeck Md, Ruan Wj, Due P, Holstein Be, Hediger Ml. Body mass index and overweight in adolescents in 13 European Countries, Israel, and the United States. Archives of Pediatrics and Adolescent Medicine. 2004;158(1):27-33.

Silva FilhoJN, Oliveira AF, de Maio Godoi FilhoJR, de Oliveira Gonçalves LG, dos Santos Farias E. Parâmetros morfológicos e funcionais de indivíduos iniciantes de exercícios físicos em uma academia de Porto Velho-RO. RBPFEX-Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. 2016; 10(62):709-16.

Cools W, Martelaer K, Samaey C, Andries C. Movement skill assessment of typically developing preschool children: A review of seven movement skill assessment tools. J Sports Sci Med. 2009;8(2):154-68.

Bibiloni MDA, Pons AJ, Tur A. Prevalence of Overweight and Obesity in Adolescents: A Systematic Review. ISRN Obesity.2013; 392727:1-14

Silva Filho JN. Treinamento de força e seus benefícios voltados para um emagrecimento saudável. RBPFEX-Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. 2013; 7(40):329-38.

Amiri-Khorasani M, Sahebozamani M, TabriziKG, Yusof AB. Acute effect of different stretching methods on Illionois Agility Test in soccer players. Journal of Strength and Conditioning Research. 2010; 24(10): 2698-704.

Chagas DV, Batista LA. Associações entre a coordenação motora e o IMC em adolescentes com peso saudável e com sobrepeso/obesos. Journal of Human Growth and Development. 2016; 26(3):380-84.

Leite LR. Relação entre agilidade e velocidade em praticantes de futsal. Rev Acta Brasileira do Movimento Humano.2012;2(4):16-25.

Lopes V, Stodden D, Bianchi M, Maia J, Rodrigues L. Correlation between BMI and motor coordination in children. J Sci Med Sport. 2012;15(1):38-43.

Melo M, Lopes V. Associação entre o índice de massa corporal e a coordenação motora em crianças. Rev Bras Educ Fís Esporte. 2013;27(1):7-13.

D'Hondt E, Deforche B, Gentier I, Verstuyf J, Vaeyens R, Bourdeaudhuij I, Lenoir, M. A longitudinal study of gross motor coordination and weight status in children. Obesity. 2014;22(6):1505-11.

Luz, OG, Seabra TE, Filipe A, Santos R, Padez C, Ferreira JP. Associação entre IMC e teste de coordenação corporal para crianças (KTK). Uma meta-análise. Rev Bras Med Esporte. 2015;21(3):230-5.

Zwicker JG, MissiunaC, Harris SR, Boyd LA. Developmental coordination disorder: a review and update. European Journal of Paediatric Neurology, 2012; 16(6):573-81.

Thomas JR, Nelson JK, Silverman SJ. Métodos de pesquisa em atividade física. 6ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2012.

Brasil. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Ministério Da Saúde. Conselho Nacional de Saúde; 2012.

World Health Organization. Physical status: The use of and interpretation of anthropometry. Geneva: WHO Expert Committee; 1998.

Onis MD, Onyango AW, Borghi E, Siyam A, Nishida C, Siekmann J. Development of a WHO growth reference for school-aged children and adolescents. Bull World Health Organ. 2007;85(9):660-7.

Marfell-Jones MJ, Stewart AD, De Ridder JH. International standards for anthropometric assessment. South Africa: Potchefstroom; 2006.

Johnson BL, Nelson JK. Practical measurements for evaluation in physical education. Minnesota: Burgess publishing company; 1979.

Marins JCB, Giannichi RS. Avaliação e prescrição de atividade física: guia prático. Rio de Janeiro. Shape; 1998.

Hopkins WG. A Scale of Magnitudes for Effect Statistics. New Zealand: Sportsci.org; 2016.[Acesso em 22 dez 2017]. Disponível em: http://www.sportsci.org/resource/stats/effectmag.html.

Hunsicker, Pa.; Reiff, Gg. AAPHER youth fitness test manual. 1976.

Nimphius S, Mcguigan Mr, Newton Ru. Relationship between strength, power, speed, and change of direction performance of female softball players. The Journal of Strength & Conditioning Research. 2010; 24(4):885-95.

Sood H. Physical and performance correlates of agility in tennis players. [Doctoral Thesis].New York: Ithaca College; 2013. [Acesso em 15 nov. 2017]. Disponível em:https://digitalcommons.ithaca.edu/ic_theses/19.

Erdem K, Çağlayan A, Korkmaz OZ, Kızılet T, Özbar N. The evaluation of body mass index, balance and agility features of amateur soccer players according to their positions. International Journal of Sports, Exercise and Training Science. 2015; 1(2):95-103.

Peixoto GF, da Silva, LS, Pinheiro AM, de Souza Vespasiano B. Correlação entre composição corporal, potência e agilidades das jogadoras de Handebol da cidade Americana-SP. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. 2016; 10(61): 679-83.

Thakur, Js. Association of obesity with agility and speed of university level kabaddi players. Intern Journal of Physical Education, Sports and Health, 2016, 3(2):254-6.

Wolfe, AM. Reference normative values for aspects of skill-related physical fitness in active children and adolescents.[PhD Thesis]. Illinois: State University;2016.

Shafizadeh, A. Relationship between anthropometric parameters youth football schools with their interpersonal skills. The Quarterly Journal of Applied Exercise Physiology. 2010;5(10):1-14.

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




URL de la licencia: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/3.0/